LISBOA – O Lado Lunar

 

Lisboa, menina e moça, enamorada pelo seu companheiro de destino, o Tejo, é reconhecida como a Cidade-Luz da Europa.

Para quem aqui mora, a luz que banha Lisboa é uma luz mágica e envolvente que como um manto banha a cidade. Quem chega a Lisboa pela primeira vez, por terra, mar ou ar, prende ansiosamente a respiração perante um espetáculo de luz e cor e onde os barulhos e o cheiro invadem os sentidos, onde a gentileza e a maneira de ser das gentes aconchega o coração. É a luz do astro-rei, quente, cristalina, pura, que realça os contornos dos seus monumentos, ruas, jardins, esplanadas, ao mesmo tempo que veste o Tejo de prata resplandecente.

À noite, são as luzes da cidade que nos fazem mergulhar num ambiente místico e ao mesmo tempo romantico, singular e característico da nossa cidade.

Eram estas luzes que iluminando a noite de Lisboa, como se a cidade estivesse em festa, que mais surpreendiam os refugiados acabados de chegar de uma Europa mergulhada na guerra e na escuridão. No Verão de 1940 Paris acabava de cair nas mãos das tropas do III Reich e milhares de pessoas tentavam fugir. A porta de saída era Lisboa. Chegavam e eram acolhidas com compaixão, numa terra distante da sua, mas em segurança.
Numa Europa escura, amedrontada, em guerra, Lisboa neutral revelava-se prometedora para as jogadas de bastidores e cartadas decisivas num teatro de guerra vizinha, onde espiões do eixo e da aliança comunicavam informações estratégicas e militares, alguns embustes também, onde reis, governadores, embaixadores e toda uma classe dominante, política e financeira, e também das altas esferas do Vaticano, visitavam a bela Cidade-Luz, a mais ocidental e livre da Europa.

Mas toda a luz é acompanhada de sombra, e esta muitas vezes torna-se dominante, devoradora, aterradora!

Eis que os dados estão lançados!
LightKeepers vai guiá-lo(a) numa viagem sombria através dos tempos, por uma Lisboa desconhecida de muitos, por factos esquecidos, por locais desaparecidos, descobrindo os efeitos da sombra que um dia se abateu sobre Lisboa.

Ao participar em “LISBOA – O Lado Lunar”, embarcará à aventura numa máquina do tempo, onde colocando coordenadas sombrias e perdidas nas areias do tempo, irá ser transportado ao longo dos séculos e levado a visitar o lado mais negro de Lisboa. Irá conhecer locais, datas fatídicas e factos sombrios, misteriosos, tenebrosos, sangrentos, desumanos.
Alguns destes factos mantêm-se bem guardados na Torre do Tombo, já tornados esquecidos por imposição ou conveniência, alguns até tendo sido proibidos de voltarem a ser referidos na forma oral ou escrita…

Mas, até ao presente momento, a equipa LightKeepers.PT tem-se debatido com inúmeras dificuldades para poder concretizar este evento. São muitas as portas trancadas que teimam em se abrir, são muitos os pedidos frontalmente rejeitados, o silêncio, a falta de respostas, a residência activa ou passiva.

Talvez , um dia, possamos desvendar alguns destes segredos. Quem sabe, nessa altura, queira juntar-se a nós!

Temas

  • O Tribunal do Santo Ofício (Inquisição)
  • O Massacre dos 3 Dias
  • A Visão Macabra do Inferno de 600 Almas
  • Espiões em Lisboa (WWII)
  • Abadia Sepultada
  • A Peste Negra
  • O Esqueleto da Testemunha
  • A Torre de Aço
  • O Sangue Jorra na Praça
Siga-me...
Latest posts by Júlio Santos (see all)
Júlio Santos
Júlio Santos
Júlio Santos exerce funções de Security Heath Check Administrator na empresa IBM Global Technology Services e é o fundador da Lightkeepers. Casado e pai de 2 filhos, é um apaixonado por fotografia e viagens. Dedica o seu tempo à criação e desenvolvimento de soluções e produtos, e redação de artigos para Lightkeepers.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Este site utiliza o Akismet para reduzir spam. Fica a saber como são processados os dados dos comentários.

Traduzir